[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Embora esteja intimamente ligado à principal causa de mortes em todo o mundo, o colesterol ainda é motivo de dúvidas para os brasileiros. A maioria da população ainda não sabe quais seriam as melhores atitudes a se tomar para o controle do colesterol. É o que mostra a pesquisa inédita “O que o Brasileiro Sabe sobre o Colesterol”, do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), feita pelo Instituto Ipsos a pedido da Sanofi.

O levantamento mostra que o brasileiro até sabe que é necessário medir suas taxas de colesterol – 89% dos entrevistados acreditam que todas as pessoas, inclusive as crianças, precisam realizar. No entanto, contraditoriamente, apenas 15% declara saber sua taxa de LDL (colesterol ruim). Além disso, apenas 32% da população reconhece as doenças cardiovasculares como a principal causa de morte no Brasil.

A pesquisa mostra que 41% dos entrevistados não se preocupam com seu colesterol – 65% só realizou exames depois de adultos, e outros 11% nunca mediu o colesterol na vida. Apenas 11% tomam medicamento para colesterol.
Para o cardiologista Henrique Tria Bianco, do Departamento de Aterosclerose da SBC e um dos responsáveis pela pesquisa, os dados encontrados refletem resultados preocupantes. “É possível perceber que o colesterol e a importância de seu controle ainda são assuntos que precisam ser reforçados no mundo”, comenta Bianco.

“É preciso que o assunto seja cada vez mais divulgado para que as pessoas aprendam a cuidar da própria saúde, atinjam suas metas de colesterol e, como consequência, mais vidas sejam salvas”, reforça o especialista.

Segundo a SBC, 300 mil pessoas morrem anualmente no Brasil em decorrência de doenças cardiovasculares. A população não sabe, porém, que o LDL elevado (colesterol ruim) é um dos principais fatores de risco, assim como obesidade, tabagismo e sedentarismo.

O cardiologista Henrique Tria Bianco reforça que o governo precisa investir no desenvolvimento de pesquisas clínicas, os médicos devem esclarecer os riscos do problema e a população precisa buscar conhecimento sobre a prevenção. Ele lembra que 61,5% dos brasileiros têm colesterol elevado. “O colesterol é uma substância fundamental para o funcionamento do nosso organismo. Ele ajuda na formação de proteínas, enzimas e até hormônios, mas os níveis devem ser mantidos controlados”, explicou.

A pesquisa contou com a participação de 850 entrevistados, maiores de 25 anos, das classes A, B e C, das cinco regiões do País, entre 31 de janeiro a 6 de fevereiro de 2017.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]