[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Para evitar o ressecamento, é preciso apostar em cremes, loções e pomadas. Saiba como escolher o produto certo para você. No inverno, a nossa pele pede por mais hidratação. Mesmo sem perceber, perdemos bastante água para o ambiente e ela precisa ser reposta no nosso corpo. Mas qual é a melhor opção: loção, gel, creme ou óleo? Conversamos com a dermatologista Samantha Enande para desvendar os rótulos e acertar em cheio no produto que vai salvar a sua pele. Confira!

Como escolher?
Em primeiro lugar, você vai precisar de um produto para o rosto e outro para o corpo. “A concentração é diferente e o de corpo é mais espesso. Se você usar no rosto, pode causar o aparecimento de acne”, explica a Dra. Samantha. Para usar na face, se a sua pele for oleosa, prefira os hidratantes de toque seco, específicos para esse tipo. Já a mista e a seca podem apostar nas loções ou creme.
Já para o corpo, fuja dos óleos corporais. “Eles são ótimos para deixar a pele aveludada e criar uma camada que impede que ela perca água, mas não penetra e hidrata as células”, avisa a dermatologista. É uma opção apenas se o intuito é deixar um perfume ou a sensação de toque aveludado mesmo!
São tantos ativos nos produtos de hoje em dia que fica difícil fazer a escolha. Todos são bacanas para hidratar, mas vale a pena ter certeza de qual você está levando.

Manteigas: normalmente, esse tipo de creme é mais espesso, então, é bom para quem não se incomoda com a sensação “besuntada” que ele causa.

Óleos: combinados com o hidratante são válidos, pois aí sim hidratam e evitam a perda de água, além de deixar o toque da pele aveludado.

Ácido hialurônico: ele tem ação hidratante quando menos concentrado. Isso porque “rouba” a água que fica entre as células para repor dentro delas.

Uréia: são poderosos hidratantes, considerados emolientes. Eles “separam” a queratina que fica na camada protetora e, por isso, fazem com que a água penetre mais. Mas atenção: concentrações muito altas podem irritar a pele.

O jeito certo
Parece simples, mas existe sim um modo mais indicado pelos dermatologistas para passar o creme. Em primeiro lugar, é preciso abolir da sua vida um ‘pecado’ que todas nós já cometemos: o uso da bucha. “A pele tem um ‘sebo natural’, chamado manto hidrolipídico, que protege a pele e mantém o equilíbrio da flora que ali existe. A bucha retira e desequilibra essa flora, bem como uma esfoliação”, alerta a Dra. Samantha. “Quando se faz uma esfoliação, o objetivo é remover aquela camada para fazer uma imersão de hidratação e depois criar uma nova estrutura de colágeno ali”.
O melhor momento para aplicar o hidratante é até três minutos após o banho. “Logo que você sai do chuveiro, a pele ainda está úmida e isso faz com que a absorção seja mais rápida e eficaz”. Então, toda vez que você tomar banho, aproveite para se hidratar!

E o creme de banho?
Já existem no mercado algumas opções que são chamadas de shower cream (significa creme de banho) para usar enquanto você está debaixo do chuveiro. São ótimas para quem prefere algo mais prático, mas a dermatologista avisa: “Se sentir a pele ressecada, é preciso fazer um reforço com a loção pós-banho”.

7 hábitos para evitar o ressecamento:

  • Lave o rosto com água fria, duas vezes ao dia.
  • Use protetor solar. A radiação, mesmo que seja menor do que no verão, está lá e pode provocar queimaduras e até câncer de pele. Você pode usar mais vezes ao dia para hidratar o rosto!
  • A água termal pode ajudar a hidratar o rosto, se você mora em regiões mais secas ou vai viajar de avião.
  • À noite, é essencial fazer a limpeza da pele – pode ser com água morna. Depois o tônico e o hidratante.
  • Beber no mínimo 2 litros de água por dia. Lembre-se: também perdemos água no inverno!
  • Banhos muito quentes retiram o manto hidrolipídico da pele e pioram o ressecado. Prefira banhos mornos.
  • Para os lábios, joelhos, cotovelos e calcanhares aposte em pomadas. Elas são mais espessas e ficam na superfície por mais tempo.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]