[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Cuidados devem ser mantidos durante o inverno.

Maio é o mês do Combate ao melanoma. Apesar de os índices de radiação atingem níveis considerados potencialmente cancerígenos no verão, onde ocorre exposição à radiação UVA/UVB E IR (infravermelho), a radiação também é um fator de preocupação no inverno.

“O filtro solar deve ser usado diariamente independentemente da estação do ano e se está num dia nublado, chuvoso ou encoberto”, orienta a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

Essa fotoexposição, ao longo dos anos, pode gerar lesões novas ou modificar aquelas que já existiam previamente na pele de qualquer pessoa. Com uma exposição solar frequente, seja por lazer ou ocupacional, muitas vezes, as pessoas não percebem a medida da exposição ao sol silencioso no trabalho de campo, no dirigir ou andar na rua. Portanto, morar num país como o nosso e com níveis de radiação tão altos, a realização do autoexame dermatológico está indicada para todos.

O autoexame deve ser realizado principalmente nas pessoas de pele clara, aquelas que possuem antecedentes familiares de câncer de pele, possuem mais de 50 pintas, tomaram muito sol antes dos trinta anos e sofreram queimaduras, têm lesões em áreas de atrito, como área da peça íntima soutien, palma das mãos, planta dos pés e área do couro cabeludo.

A indicação também vale para as pessoas que apresentam muitas sardas e manchas por exposição solar anterior, já retiraram pintas com diagnóstico de atípicas, não se bronzeiam ao sol, e consequentemente acabam adquirindo a cor vermelha com facilidade e apresentam qualquer lesão que esteja se modificando. “Orientamos que as pessoas prestem atenção no corpo. Uma vez por mês, na frente do espelho e de preferência com luz natural, verificar o surgimento de alguma mancha, relevo ou ferida que não cicatriza”. Diz Dra. Claudia.

“Esse tipo de cuidado de rotina, principalmente para quem tem a pele muito clara e com muitas pintas, promove consciência e aguça o olhar sobre as lesões, aumentando a percepção de mudança ou seu crescimento”, finaliza.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]